uma mensagem desesperada de esperança

Dear Nana

Depois de tantos emails privados em que desesperadamente apelava por um OLÀ, hoje resolvi dar-me a conhecer com esta e ultima derradeira mensagem, só para que saibas que não sou uma lunática, uma fan louca por um autografo, resumindo, um ser que te persegue pela tua fama. Bem lá no fundo, sou apenas um suave amanhecer que talvez encontrasse a luz no fundo do tunel se tivesse de ti uma mensagem de coragem. Olha bem, eu sou essa ai que se segue:


 

AQUELA

Eu sou aquela que não conheço

e que todos teimam em não conhecer:

Eu sou aquela que não é luz,

mas que também não é trevas;

Eu sou aquela que não sorri muitas vezes,

mas reconheço que o riso existe;

Eu sou aquela que navega sem rumo,

mas sei que existe um destino;

Eu sou aquela que gosta de algo no presente,

e um minuto depois esse algo se torna passado;

Eu sou aquela que brinca quando alguém chora,

mas choro quando ninguém me vê;

Eu sou aquela que desespera com a solidão e escuridão da noite,

mesmo sabendo que um novo dia não tardará a nascer;

Eu sou aquela que precisa de alguém,

e que um orgulho sem limites teima em dizer o contrário;

Eu sou aquela que não deveria ser;

Aquela que quer mudar e não consegue;

Aquela que tu deverias conhecer e dar força quando eu mais preciso;

Aquela que já sofreu e não quer voltar a sentir a amarga provação de tão drástica experiência;

Eu sou aquela que precisa desesperadamente de ti;

Mas quem és tu ?

Serás gente ?

Serás uma força sobrenatural ?

Serás um raio de luz que incidindo sobre mim rejuvenescerá a minha alma solitária ?

Não sei !

Só sei que anseio pela tua chegada.

Eu estou por aqui,

num lugar onde ninguém mais estará.

Tu sabes,

é aquele refúgio,

o refúgio da minha solidão.

Júlia Sousa

Share

Leave a Reply

  

  

  


6 + 9 =